Saúde mental – Dicas de como ter a MENTE SAUDÁVEL

Liliana Viana

Por Liliana Viana

Em nossa sociedade moderna muito se tem propagando uma cultura ao corpo saudável. É salutar essa preocupação em desenvolver hábitos alimentares corretos e manter exercícios físicos. Muito embora seus alvos estejam mais ligados com a estética, a imagem de que somente o que se “apresenta bonito” tem valor, o resultado acaba sendo benéfico para a saúde, excetuando os excessos com dietas loucas e mirabolantes.

Contudo, não percebemos uma sociedade muito preocupada com a saúde da mente. Sentimentos como tristeza, mau-humor e ansiedade, fazem parte do nosso cotidiano. É preciso se perceber disto e cuidar da saúde mental de forma a aprender a conviver melhor com esses sentimentos indesejáveis e de se prevenir de distúrbios mais sérios. Quando nossa mente não está bem cuidada, não somente nós seremos afetados, mas todos em nossa volta, pois afetará nossos relacionamentos.

Uma tristeza constante pode desencadear uma depressão. A depressão, ansiedade…

Ver o post original 301 mais palavras

OS DEZ ALIMENTOS MAIS SAUDÁVEIS DO MUNDO

OS DEZ ALIMENTOS MAIS SAUDÁVEIS DO MUNDO
 
Com
doutorado em nutrição pela Universidade Clayton pela Saúde Natural,
este homem se dedica há mais de duas décadas  à pesquisa dos alimentos e
aqui enumera quais são os dez mais saudáveis do mundo e que deveriam
fazer parte do nosso cardápio diário:

 


1-    Sardinha:
é
rica em proteínas e possui minerais essenciais,  como magnésio, ferro e
selênio, que têm ação anticancerígena. Esse tipo de peixe também ajuda o
organismo a liberar o mercúrio e tem altas concentrações de Ômega 3, um
tipo de  gordura "boa", essencial para o funcionamento do cérebro, do
coração e para a redução da pressão arterial. As sardinhas são chamadas
de "comida saudável em lata" por Bowden, que aconselha que sejam
compradas as preservadas no próprio óleo ou em azeite, quando não
puderem ser consumidas frescas.

 

2-    Repolho: 
as
folhas do vegetal contêm grandes concentrações de substâncias
antioxidantes e anticancerígenas chamadas de indoles e sulforafanos. Uma
pesquisa da Universidade de Stanford, nos EUA, apontou que o
sulforafano é a substância  química encontrada em plantas que mais eleva
o nível de enzimas  anticancerígenas no organismo.

 

3-    Folha de beterraba: 
geralmente
jogada fora, é rica em vitaminas, minerais e   antioxidantes. Contém
carotenóides, pigmento natural dos vegetais que ajuda a proteger os
olhos contra o envelhecimento. Bowden também afirma que a  beterraba em
si também é um dos alimentos mais ricos que existem. As folhas  podem
ser comidas cruas na salada ou refogadas, como espinafre.

 

4-    Açaí: 
em
suco ou misturado à comida, como é feito no norte do país, o açaí é uma
das frutas com maior concentração de antioxidantes. Também é rica em
gorduras monoinsaturadas e  poliinsaturadas, que são benéficas e
auxiliam na redução do colesterol ruim e na prevenção de doenças
cardíacas. Para Bowden, os brasileiros que não consomem a fruta
freqüentemente desperdiçam a benção que  a natureza lhes proporcionou.

 

5-   Goiaba: 
rica
em fibras, minerais e vitaminas. Também possui grandes quantidades de
licopeno, o mais antioxidante entre todos os carotenóides. O licopeno
auxilia na prevenção do câncer de próstata e reduz os riscos de
surgimento de catarata e  doenças cardiovasculares.

 

6-    Cereja fresca: 
tem
altas concentrações de antocianina, um antiinflamatório natural. Deve
ser comida ao natural ou misturada com iogurte ou vitaminas.

 

7-    Chocolate meio-amargo:
rico
em flavonóides, que diminuem a pressão sangüínea e promovem o bom
funcionamento do sistema circulatório, tem altas concentrações de
magnésio, um mineral importante para mais de 300 processos biológicos 
do organismo.

 

8-    Frutas oleaginosas: 
são
as castanhas, as nozes e as amêndoas. Bowden afirma que todas trazem
inúmeros benefícios, apesar do elevado teor calórico. Possuem muitos
minerais,  proteínas e altos níveis de Omega 3 e Omega 9.

 

9-    Canela: 
ajuda
a controlar o nível de açúcar e de colesterol no  sangue, o que previne
o risco de doenças cardíacas. Para usufruir dos benefícios da
especiaria, basta polvilhar um  pouco de canela em pó no café ou no
cereal matinal.

 

10-  Semente de Abóbora:
é
uma grande fonte de magnésio. Esse mineral é tão importante, explica
Bowden, que estudiosos franceses concluiram que homens com altas
taxas de magnésio no sangue têm 40% menos chances de sofrer uma morte
prematura do que aqueles com baixos índices. Para consumi-las toste-as
no forno e coma-as por inteiro, inclusive com a casca, que é rica em
fibras.

Por que ler os Puritanos hoje? (Don Kistler)

Por Que Ler os Puritanos Hoje?

 

Don Kistler

Don
Kistler é ministro presbiteriano, fundador da editora Soli Deo Gloria,
onde organizou e editou mais de 150 títulos. É também fundador e
presidente da editora Northhampton Press. Obteve graduação dupla em
oratória pela universidade Azusa Pacific College, na Califórnia e obteve
ainda os graus de Mestrado em Divindade e Doutorado em Ministério.

Acredito
que existem várias razões para o ressurgimento do interesse pelos
Puritanos e seus escritos. Uma delas é que as pessoas estão ficando
cansadas de coisas que a religião promete, mas não pode dá-las. Todo
tipo de promessas são feitas, mas as pessoas investigam a religião por
causa do interesse próprio, e quando estas promessas não se tornam
realidade elas ficam desapontadas. Creio que elas também estão cansadas
da religião superficial e sem seriedade em sua base. Muitas pessoas não
louvam a Deus, porque o deus do qual a maioria ouve falar realmente não é
o "Senhor Deus onipotente que reina para sempre e eternamente". Ele é
simplesmente "meu amigo", e esta familiaridade certa mente produz
desrespeito!

Os puritanos foram homens apaixonadamente obcecados
pelo conhecimento de Deus. Eu listei 10 razões do porquê devemos ler os
puritanos hoje, e cada uma delas é derivada diretamente da visão
Puritana de Deus e das Escrituras.

1) Eles elevarão o seu conceito de Deus a
um nível que você jamais imaginou fosse possível, e lhes mostrarão um
Deus que realmente é digno de seu louvor e adoração. Jeremiah Burroughs,
em seu clássico livro Louvor Evangélico, disse: "A razão
porque nós adoramos a Deus de uma maneira não séria, é porque não vemos a
Deus em Sua glória". O homem moderno ouve falar de um Deus que não é
digno de ser louvado. Por que ele deveria louvar a um Deus que quer
fazer o bem, mas não pode ser bem sucedido porque o homem nÍ o coopera?
Quem afinal é soberano? O homem o é!

Leia os puritanos e você se
achará, num sentido espiritual, de alguma forma sozinho. Você se sentirá
empolgado com aquilo que está lendo e com o que está sentindo em seu
coração, e perceberá que não há muitas outras pessoas que entenderão
daquilo que você está falando; esta pode ser uma solitária experiência!
Quando você experimenta a visão que Isaías teve de Deus (Is. 6), e
percebe que a realidade de Deus está infinitamente além de qualquer
coisa que a sua mente possa compreender, você perceberá que o homem
comum não pensa muito a respeito de Deus, muito menos no nível profundo
que você está pensando.

Uma das razões de termos um pensamento
tão pobre é porque lemos tão pouco. Ler ajuda-nos a pensar. Nós vivemos
numa "cultura fotográfica" (visual) ao invés de uma cultura tipográfica
(de letras). Tudo são fotos, vídeos e filmes. Todo trabalho está feito
para nós e assim não precisamos lutar com conceitos. Outra pessoa
interpreta as coisas para nós com imagens. Há 400 anos atrás, as
palavras estavam congeladas, estáticas numa página e estas forçavam os
leitores a trabalharem mentalmente com os pensamentos ali expressos.

2) Os Puritanos tinham um "caso de amor" com Cristo, e eles escreveram muito sobre a beleza de Jesus Cristo.
Um dos maiores puritanos foi Thomas Goodwin, um Congregacional.
Escrevendo sobre o céu, Goodwin disse: "Se tivesse que ir ao céu e
descobrisse que Cristo não estava lá, eu sairia correndo imediatamente,
pois o céu seria o inferno para mim sem Cristo". O céu sem Cristo não é o
céu, e se Cristo não estiver lá, eu não tenho nenhum desejo de estar
lá. Estes homens estavam apaixonados por Cristo.

James Durham escreveu na sua aplicação do sermão sobre Cantares de Salomão 5:16: "Se Cristo é amor como um todo, então todo o resto é repulsivo como um todo".
Nós não nos sentimos assim em relação a Cristo, sentimo-nos? Queremos
um pouquinho de Cristo, mas também um pouquinho de várias outras coisas.
Mas o verdadeiro cristão quer Cristo e nada além de Cristo.

Samuel Rutherford escreveu o seguinte a respeito da beleza de Cristo:

Eu
ouso dizer que escritos de anjos, línguas de anjos, e mais que isso, e
tantos mundos de anjos como existem pingos de água em todos os mares e
fontes e rios da terra não O poderiam mostrar-lhe. Eu acho que Sua
doçura inchou dentro em mim até a grandeza de dois céus.

Ah!
Quem dera uma alma tão extensa, como se estendesse até a linha final
dos mais altos céus para conter o Seu amor. E ainda assim eu poderia
conter só um pouquinho deste amor. Oh! que visão, de estar no céu,
naquele lindo jardim do Novo Paraíso, e assim ver, sentir o cheiro,
tocar e beijar aquela linda flor-do-campo, a árvore sempre verde da
vida! A sua sombra seria o suficiente para mim; uma visão dEle seria a
garantia do céu para mim.

Se existissem dez mil milhões de
mundos, e tantos céus cheios de homens e anjos, Cristo não seria
importunado para suprir todos os nossos desejos, e nos preencher a
todos. Cristo é uma fonte de vida; mas quem é que sabe qual a sua
profundidade até o ponto mais fundo? Coloque a beleza de dez mil mundos
de paraísos, como o jardim do Éden em um; coloque todas as árvores,
todas as flores, todos os odores, todas as cores, todos os sabores,
todas as alegrias, todos os amores, toda doçura em um só.

Oh!
Que coisa linda e excelente isso seria? E ainda assim seria menos para o
lindo e querido bem-amado Cristo do que uma gota de chuva em todos os
oceanos, rios, lagos e fontes de dez mil mundos.

Isto é alguém que ama a Cristo, não é?

3) Os Puritanos nos ajudarão a entender a suficiência de Cristo.
Isto sofre grandes ataques em nossa igreja moderna. Você pode ter
Cristo para salvá-lo, mas hoje em dia você precisa da psicologia para
ajudá-lo no curso de sua vida. Pode ter Cristo para salvá-lo e ajudá-lo
com seus sofrimentos espirituais, mas você precisa de algo mais para
estas dores emocionais profundas que sente.

Existe um livro escrito por Ralph Robinson — contemporâneo de Thomas Watson em Londres — "Cristo: Tudo e Em Tudo". Robinson escreveu mais de 700 páginas sobre um versículo de Colossenses, "… porém Cristo é tudo e em todos" (Cl
3:11). Você percebe que a questão é a nossa deficiência em entender a
suficiência de Cristo. Se Cristo é tudo em tudo, como podemos olhar para
qualquer outro, ou para qualquer outra coisa em busca de respostas?

No seu livro "O Tesouro dos Santos", Jeremiah
Burroughs tem um sermão sobre o versículo de Colossenses. Burroughs faz
uma afirmação como segue: "Certamente Cristo é um objeto suficiente
para a satisfação do Pai". Nenhum de nós argumentaria contra isso, não é
mesmo? Isaías nos diz que Deus verá o "fruto do penoso trabalho de sua alma, e ficará satisfeito". Assim, Cristo é suficiente para satisfazer a
Deus. Burroughs continua: "Certamente, então, Cristo é suficiente para
satisfazer qualquer alma!" Você compreende o raciocínio? Coit ado
daqueles cristãos que gastam suas vidas inteiras se queixando acerca de
seu destino na vida, como se Cristo não fosse suficiente. Que blasfêmia é
dizer que Cristo é suficiente para satisfazer a Deus, mas não é
suficiente para satisfazer a mim! Muito antes de existir um Freud, um
Puritano solucionou o problema da "balela da psicologia" que tanto tem
fascinado e agradado a igreja hoje.

4) Os Puritanos nos ajudam a ver a suficiência das Escrituras para a vida e a piedade.
Isto é o que Pedro disse (2 Pe 1:3-4). As Escrituras nos dão o
conhecimento de Deus, o qual nos dá todas as coisas pertinentes à vida e
à piedade. O grito de guerra da humanidade hoje é mais ou menos assim:
"Estou buscando a auto-estima", ou "Quero apenas estar de bem comigo
mesmo".

Os cristãos não carecem de auto-estima; eles carecem de
dispensar estima a Cristo! Isaías descobriu quem Deus era e daí ele
soube quem de fato Isaías era. Eu me lembro de ter sido convidado para
falar numa palestra em outro continente, e pediram-me para falar de mim.
Não posso imaginar nada mais constrangedor do que as pessoas ficarem
sabendo algo a meu respeito. No livro"Tesouro dos Santos" de Burroughs, seu primeiro sermão é intitulado "A Incomparável Excelência e Santidade de Deus" e é baseado num versículo do Velho Testamento "Quem é como Tu, oh Deu s, entre as nações?".
É um sermão de 35 páginas, e Burroughs fala do esplendor de Deus em
metade do sermão. Daí ele escreve sobre a segunda metade do versículo "e quem é como Tu, oh Israel?".
Qual é o ponto em questão? Sendo que não há ninguém comparável ao Seu
Deus, não há ninguém como você! Assim, você não precisa de auto-estima
para sentir-se bem consigo mesmo; você precisa ter "Cristo-estima"; você
precisa sentir-se bem com Deus.

Se o homem é criado à imagem e
semelhança de Deus, como poderia alguém ter falta de auto-estima? Cristo
deu Sua vida, pagando um alto preço por Sua Igreja. Isso é
verdadeiramente digno, meus amigos!

5) Os Puritanos podem ensinar-nos sobre a extrema maldade da natureza do pecado. Edward Reynolds escreveu um livro intitulado "A Pecaminosidade do Pecado", e Jeremiah Burroughs escreveu "O Mal dos Males". Não
há outra doutrina que importe sermos mais ortodoxos do que nesta.
Porque se você está fora da doutrina do pecado, você está fora de toda
doutrina. Este é o fio da meada que vai abrir todo o invólucro.

Burroughs
escreveu 67 capítulos sobre esta premissa: O pecado é pior que o
sofrimento; as pessoas farão tudo que puderem para evitar o sofrimento,
mas farão quase nada para evitar o pecado. O pecado é pior que o
sofrimento, isso, no entanto, é porque o pecado causa o sofrimento. De
fato Burroughs vai ao ponto. O pecado é pior que o inferno, porque o
pecado causou o inferno. E a causa é pior que a conseqüência da causa.

Obadiah
Sedgwick, um presbiteriano Londrino proeminente e que era um membro da
Assembléia de Westminster, escreveu um livro perscrutador "A Anatomia dos Pecados Ocultos" —
um tratado sobre o clamor de Davi pedindo para ser liberto de pecados
ocultos; aqueles pecados escondidos nos recessos mais íntimos de nossos
corações. Aqueles pecados que não são conhecidos de mais ninguém, só por
nós e Deus, pecados que são tão maus e condenados como quaisquer
outros.

Jonathan Edwards disse o seguinte acerca do pecado: "Todo
pecado é de proporção infinita, e é mais ou menos mau dependendo da
honra da pessoa ofendida. Já que Deus é infinitamente santo, o pecado é
infinitamente mau". É por isso que não existe esse negócio de pecado
pequeno (pecadinho), porque o mais leve pecado é um ato de traição
cósmica cometida contra um Deus infinitamente santo.

Simplesmente por seu enorme valor literário, este material não tem preço. As imagens de Edwards em seu sermão"Pecadores nas Mãos de um Deus Irado" são
imbatíveis. Ele compara Deus com um arqueiro e seu arco em mãos; aquele
arco está retesado e a flecha está diretamente apontada para o coração
do homem; os braços do arqueiro estão trêmulos de tão firme que o arco
está ao ser puxado. E Edwards diz que a única coisa que impede Deus de
deixar aquela flecha voar e penetrar no sangue do pecador é o
beneplácito de um Deus que está infinitamente irado com o pecado a cada
dia. Um escritor secular que estava fazendo uma obra sobre Jonathan
Edward s foi perguntado por um cristão: "Você sabe, se Edwards tiver
razão então aquela flecha está apontada para o seu coração. Como você
pode dormir à noite?". A resposta foi a seguinte: "Às vezes eu não
durmo! Só espero em Deus que Jonathan esteja errado".

6) Os puritanos nos ajudarão na vida prática. O livro de Richard Baxter, "O Diretório Cristão", tem
sido chamado de "o maior manual de aconselhamento cristão jamais
produzido". Antes do presente século todo aconselhamento era feito do
púlpito ou durante uma visita pastoral à família para catequizá-la. Os
pastores eram vistos como os médicos da alma. É interessante notar que a
palavra "psicologia" significa o estudo da alma. Suke, de onde
temos "psyche" e de onde vem "psicologia" quer dizer "alma". Só que
hoje em dia o que costumava ser a cura de almas pecaminosas, passou a
ser a cura de mentes doentes (pecado virou doença). Esta tarefa foi
tirada do pastor, o qual conhece a alma melhor que qualquer outro, e foi
dada a conselheiros (psicólogos) dentre os quais, muitos nem mesmo
crêem em Deus. Eles não podem curar males espirituais. O "Diretório" de
Baxter mostra o gênio de um homem, que pôde aplicar as Escrituras em
todas as áreas da vida. O Dr. James Packer chama este livro de o maior
livro cristão já escrito.

O livro "A Prática da Piedade" de
Lewis Bayly é um modelo de manual devocional Puritano. A idéia era a de
regular o dia inteiro de um indivíduo pelas Escrituras. O Dr. John
Gerstner diz que este livro deu início ao movimento Puritano.

Não
havia nenhuma área da vida, criam os puritanos, que não devesse ser
regulada pelas Escrituras. Mesmo o tempo a sós deveria ser posto à
disposição do uso da piedade. Nathanael Ranew escreveu uma refinada obra
— intitulada "Solidão Aperfeiçoada pela Meditação Divina". Esta
é uma obra puritana clássica sobre meditação espiritual. A premissa de
Ranew é que, mesmo quando o cristão está só ele pode "melhorar-se" a si
mesmo usando sua mente para o bem, meditando em Deus e em Seus
atributos. Se existisse um 11º mandamento, este seria: "Não deveis
desperdiçar tempo".

Os Puritanos escreveram vários destes
"manuais". John Preston pregou cinco sermões em I Tessalonicenses 5:17
sobre a oração, entitulados "O exercício diário dos Santos", os quais estão incluídos no "Os Puritanos e a Oração".

R.C. Sproul escreveu o prefácio do livro de Jeremiah Burroughs "Tratado sobre Mentalidade Terrena". Eis aí um livro sobre o grande pecado de pensar como o mundo pensa, ao invés de pensar os pensamentos de Deus e segundo Deus.

Os
Puritanos tinham característica pastoral forte, além de serem muito
teológicos. Christopher Love — sobre quem eu escrevi um livro "Um Espetáculo para Deus" — disse o seguinte, em seu terceiro volume sobre sermões de crescimento na graça:

Não
olhe demais para os seus pecados, mas olhe também para a sua graça
ainda que fraca. Cristãos fracos olham mais para os seus pecados do que
para suas graças recebidas; Deus olha para suas graças e não atenta
tanto para seus pecados e fraquezas. O Espírito Santo disse: "Ouvistes
da paciência de Jó"; mas Deus leva em conta não o que existe de mau em
seu povo, mas o que é bom nele. É mencionado o fato que Raabe escondeu
os espias, mas nada é mencionado a respeito da mentira que ela contou.
Aquilo que foi bem feito foi mencionado como louvável sobre Raabe. Já o
que foi inapropriado está sepultado em silêncio, ou pelo menos não está
registrado contra ela e nem como acusação contra ela . Aquele que
desenhou o quadro de Alexandre com sua cicatriz na face, desenhou-o com
seu dedo sobre a cicatriz. Deus coloca o Seu dedo de misericórdia sobre
as cicatrizes de nossos pecados. Oh, como é bom servir um Senhor assim,
que é pronto a recompensar o bem que fazemos e ao mesmo tempo está
pronto a perdoar e esquecer o que é inapropriado. Por isso, vocês que
têm só um pouco de graça, lembrem-se que ainda assim Deus terá os Seus
olhos sobre esta pequena graça. Ele não esmagará a cana quebrada, nem
apagará a torcida que fumega. (Is 42:3)

7) Os Puritanos nos ajudarão no evangelismo que é bíblico.
Grande parte do evangelismo feito hoje é centrado no homem, mas o
evangelismo Puritano era centrado em Deus. Os puritanos tinham outra
doutrina, que se tem perdido hoje em dia e tem o nome de "buscar" ou
"preparação para a salvação". Era uma doutrina amplamente difundida
entre os Puritanos ingleses e os reformadores. Foi ensinada por Jonathan
Edwards em seu sermão "Forçando a entrada no Reino", e antes disso foi
ensinada por seu avô Solomon Stoddard. Stoddard escreveu "Um Guia para
Cristo", q ue John Gerstner chama de o mais refinado manual sobre
evangelismo reformado que ele conhece. Além deste, você poderia querer
ler "O Céu tomado por violência" de Thomas Watson.

A doutrina da
busca nos ensina que Deus trabalha através de meios, e se um homem
deseja ser salvo ele deve se apropriar destes meios. Deixe-me dar-lhe um
exemplo. A fé vem pelo ouvir, e os homens são salvos pela fé, ou
melhor, os homens são salvos pela graça através da fé. Mas se preciso de
fé para agradar a Deus e eu percebo que não tenho fé para crer em Deus
para a salvação, o que eu deveria fazer?

E é aqui que entra o
"buscar". Se a fé vem pelo ouvir, então eu devo ouvir alguém pregar um
sermão ortodoxo sobre Cristo. Se Deus vai me salvar, seu meio normal
será através da pregação do evangelho. Deus não tem obrigação de me
salvar se eu escuto um sermão, mas Ele provavelmente não me salvará sem
que eu escute um sermão sobre a graça de Deus.

O pecador, então,
deve fazer todo o possível dentro de seu poder natural para amolecer o
seu coração. Ele não pode merecer a salvação, mas pelo menos ele pode
"cooperar" com Deus em sua salvação ao invés de opor-se a Ele. Eu não me
torno agradável a Deus por estar buscando — desde que o esteja fazendo
sem interesse próprio — mas eu estou sendo menos ofensivo a Deus ao
invés de mais ofensivo; e mesmo se Deus não me salvar, a minha punição
no inferno será menor. E os Puritanos diriam: "Se você não pode ir a
Deus com um coração reto, então vá a Ele procurando por um coração
reto". Busque ao Senhor.

8) Ler os Puritanos nos ajudará a ter prioridades certas. Segundo Coríntios 5:9 diz: "É por isso que também nos esforçamos, quer presentes, quer ausentes, para lhe ser agradáveis".
Um puritano falou da seguinte maneira: "O sorriso de Deus é minha maior
recompensa; Sua expressão de desaprovação é meu maior temor". Se é
verdade que nós nos tornamos como as pessoas com as quais gastamos o
nosso tempo, então é um investimento para a eternidade gastarmos tempo
com os puritanos. Então, gaste o seu tempo com o melh or! O livro "Temor
Evangélico" de Jeremiah Burroughs é sobre termos a prioridade correta.
Trata-se de sete sermões sobre Isaías 66:2, sobre o que significa tremer
da Palavra de Deus. Se Deus fala "É para este que olharei,…, e que treme da minha Palavra", então seria sábio sabermos o que é tremer da Palavra de Deus.

9) Os Puritanos podem nos ajudar a esclarecer a questão de como um homem é justificado diante de Deus.
Outro título do Solomon Stoddard é sua obra prima sobre justiça
imputada: "A Segurança da Apresentação, no Dia do Juízo, na Justiça de
Cristo". Não tenho como não enfatizar extremamente a importância de ser
são e sóbrio sobre esta questão de justiça imputada nestes dias onde
tantos não estão sendo sóbrios e claros na eterna diferença entre
justiça imputada ou atribuída e justiça infundida. A diferença entre
estas duas posições não é só a dist ância entre Roma e Genebra; mas é
também a distância entre o céu e o inferno. Eu recomendo para as suas
leituras sobre este assunto, o livro "Justificação Somente Pela Fé". Se
você quer especificamente um livro puritano sobre esta questão, então
leia "Os Puritanos e a Conversão", ou leia o livro de Matthew Mead, "O
Quase Cristão Descoberto". Mead lista vinte e seis coisas que uma pessoa
deve fazer como cristã. Fazendo estas coisas não prova que ela
realmente seja cristã, no entanto não fazê-las prova que ela não é
cristã. Não é para a fraqueza do coração. Esta era a versão do século 17
de "O Evangelho Segundo Jesus", 300 anos antes de John MacArthur ter
escrito aquela obra preciosa.

10) Finalmente, olhemos para os Puritanos e a Autoridade da Palavra. Sabemos que as Escrituras são Deus falando conosco. O versículo clássico de Timóteo nos diz que "Toda Escritura é inspirada por Deus"
(literalmente soprada por Deus). E sabemos que seja o que for que Deus
diga, nós devemos obedecer. De fato foi isto que o povo de Deus do Velho
Testamento percebeu. Em Êxodo 24:7 eles declaram: "Tudo que o Senhor falou nós faremos, e seremos obedientes". Não há nada que o Senhor diga que nós não devamos fazer; e se não o fazemos nós não somos cristãos! A coisa é simples assim!

Um
puritano que era membro da Assembléia de Westminster em 1643 escreveu:
"A autoridade da Escritura Sagrada, por causa da qual se deve crer e
obedecer, não depende do testemunho de qualquer homem ou igreja; mas
depende totalmente de Deus (que é a própria Verdade) o autor da mesma. E
por isso ela deve ser recebida, porque é a Palavra de Deus".

Sabemos
que quando Deus fala nós devemos ouvir. De fato, grande parte da Grande
Comissão é ensinar às pessoas a se submeterem à autoridade da Palavra
de Deus "ensinando-os a observar tudo que vos tenho ordenado" (Mt 28:20).

Isto
é o que surpreendia as pessoas quando Jesus ensinava. Mateus 7:29 diz
que quando Jesus ensinava, as pessoas ficavam maravilhadas. Qual era a
base para a admiração delas? "Ele estava ensinando-as como quem tem autoridade, e não como os escribas".

É exatamente assim que os pregadores devem pregar: com autoridade. É um mandamento de Deus que eles assim o façam. "Falai estas coisas, exortai e reprovai com toda autoridade. Não deixe que ninguém te despreze"
Tito 2:15. Enquanto afirmamos que se Deus dissesse alguma coisa nós o
obedeceríamos, nós nos esquecemos que o ministro fiel é Deus falando a
nós hoje. É a visão da Reforma do ministério do púlpito: quando um
ministro fiel está expondo a Palavra de Deus, é a voz de Deus que você
está ouvindo e não a de um homem. E isto quer dizer que deve ser
obedecida.

Mas o que você escuta após o sermão? O melhor que você
ouvirá é "Isto é interessante, terei que pensar sobre isto". Mas Deus
nunca nos deu Sua Palavra para ter nossa opinião ou para pensarmos sobre
o assunto. Ele nos deu Sua Palavra para que a obedeçamos. O Puritano
Thomas Taylor escreveu:

A Palavra de Deus deve
ser pregada de tal maneira, que a majestade e a autoridade dela sejam
preservadas. Os embaixadores de Cristo devem falar Sua mensagem como se
Ele literalmente o fizesse. Um ministro lisonjeador é um inimigo desta
autoridade, pois se um ministro deve contar "placebos" e canções doces é
impossível que ele não venha trair a Verdade. Resistir esta autoridade
ou enfraquecê-la é um pecado temível, seja em homens de alta ou baixa
posição. E o Senhor não permitirá que seus mensageiros sejam
interrompidos. Os ouvintes devem: a) orar por seus mestres, para que
possam transmitir a Palavra com autoridade, com poder e claramente; b)
não confundir esta autoridade nos ministros como rudeza ou antipatia, e
muito menos como loucura; c) não recusar a sujeição a esta autoridade,
nem ficar ofendidos quando ela sobrepuja uma prática onde eles estão
relutantes em largar; pois é justo para com Deus apagar a luz daqueles
que recusam a luz oferecida.

Deuteronômio 30:20 equipara um Deus de amor com obediência à Sua voz, e diz que é assim que amamos.

Bem,
era assim que os puritanos viam as Escrituras. Sua elevada visão de
Deus veio de sua elevada visão das Escrituras. E se nós quisermos
conhecer a Deus como eles, nós devemos amar Sua Palavra como eles
amaram. E este amor aumentará somente através de estudo intenso e
diligente. E ler os puritanos é a próxima boa coisa. É como ir a escola
com as mentes mais brilhantes que a igreja já teve.

Onde você deveria começar? Recomendo ao iniciante os seguintes títulos:

O Amor Verdadeiro do Cristão ao Cristo Invisível, de Thomas Vincent.
A Maldade do Pecado ou O Dever da Auto Negação, Thomas Watson.
Amostras de Thomas Watson, um pequeno livro de dizeres coletados.
A Graça da Lei, Ernest Kevan; um bom livro sobre o papel da lei na teologia puritana.

Os
Puritanos e a Conversão, Os Puritanos e a Oração. Dois excelentes
compêndios que dão ao leitor o melhor do pensamento puritano sobre os
respectivos temas.


Traduzido pelo ministério "Os Puritanos" e publicado na revista "Os Puritanos" em 1995.

Permissão para publicação no site Fiel gentilmente concedida por Dr. Manoel Canuto, do ministério "Os Puritanos".

Copyright© Don Kistler.

Copyright©1995 Ministério Os Puritanos

O
leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que
não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os
créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de
dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Falando sobre Franceses constroem castelo com técnicas medievais – Mundo – BBC – MSN Notícias

 Muito legal esta construção. Tomara que produzam um lindo e rico documentário. Ficará lindo, pedagógico, educativo, cultural… Tudo de bom!!!

Citação

Franceses constroem castelo com técnicas medievais – Mundo – BBC – MSN Notícias
Castelo Guédelon, que ficará pronto até 2025, é inspirado em propriedades do século 13.

DEUS trabalha e muito!!

Deus
Trabalha Muito

 

24 de Maio de 2010

“Porque desde a
antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos
se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera.”
(Isaías 64:4 ARA)

Deus certamente tem Seu Trono, inegavelmente, como
diversos textos bíblicos nos ensinam. Mas engana-se aquele que pensar
que Ele o usa para descansar ou tirar cochilos na hora de folga.
Igualmente se engana aquele que pensa que Deus é um velhinho reumático
e de barbas brancas, incapacitado de realizar as coisas pela idade
avançada. Deus trabalha e muito.

Deus terá a eternidade, após a consumação de todas
as coisas, para usufriur do Seu sublime trono. Ele é um Deus que
trabalha, tal como diz o versículo acima, de uma maneira tamanha que
nunca se ouviu falar de outro igual. Isso é para mim ao mesmo tempo uma
tranquilidade, uma inspiração e um consolo.

Tranquiliza-me porque no seu cochilo eu poderia
ser atingido pelo mal, mas isso não pode acontecer. Ele não descansa e
trabalha muito. Mais do que isso, Ele trabalha para mim, que espero
Nele. Isso me dá uma calma indescritível.

Inspira-me porque eu trabalho bastante, mas quero
trabalhar ainda mais para o Reino de Deus. Se o Rei dos Reis trabalha
muito, devo também trabalhar muito. Inspira-me ainda que não preciso
trabalhar por mim e sim por aqueles para quem eu represento esperança,
sendo que neste caso outro trabalhará por mim, a mando do Senhor. Fora
que Ele pessoalmente tomará conta de mim.

Consola-me porque, às vezes, me sinto cansado de
tanta coisa, tanta encrenca, tanto problema, tanto melindre, tanta
coisa que poderia pura e simplesmente não acontecer. Mas Ele trabalha
em meu favor, trabalha por mim. Não preciso exagerar nem exceder os
limites, pois estou guarnecido.

Basta esperarmos Nele que Ele trabalhará por nós.
Chega a ser neo-testamentário demais para o tempo de Isaías, pois Jesus
disse tantas vezes coisas neste sentido. O apóstolo Paulo escreveu
tanto sobre isso. O que estamos esperando? Vamos trabalhar, mas não por
nós mesmos e sim por Aquele que zela e trabalha tanto por nós. Ele nos
cuidará. Não se trata de ser pastor ou deixar do emprego, mas
apresentá-lo e representá-lo onde quer que estejamos, sendo sal e luz.

“Pai, é maravilhoso
esperar em Ti. Não permita que sequer esfrie minha esperança em Ti, nem
que se distancie minha percepção do Teu trabalhar em meu favor.”

Mário Fernandez

Quando Deus Quebra Paradigmas

Sempre me encantou o relato do encontro de Jesus com a Samaritana.
Esta reflexão do Pr. Renato complementa as inúmeras inspirações que resultam da meditação nesse texto tão conhecido da Igreja do SENHOR, em João 4.1-42.
************************************************************

Quando Deus quebra paradigmas.

Pr. Renato Vargens

Os Judeus por razões históricas não desenvolviam nenhum tipo de relação com samaritanos. Na verdade, Os chamados filhos de Abraão, consideravam os samaritanos como pessoas desprovidas das bênçãos de Deus, os quais não mereciam nenhum tipo afeto ou atenção.

Jesus, ao optar em atravessar a terra de Samaria, se contrapôs aos valores sócio-religiosos da época, ensinando que o Evangelho do Reino não é, nunca foi e nem tampouco será, destinado a uma privilegiada classe étnica de pessoas. Na verdade, isso se percebe de forma clara e nítida quando ao encontrar-se como uma mulher samaritana, nosso Senhor resolve concomitantemente ir de encontro a alguns paradigmas da época. Ao fazer isso, Jesus derruba barreiras centenárias de preconceito social.

Caro leitor, por acaso você se já deu conta de que a misericórdia de nosso Senhor é absolutamente capaz de transpor as barreiras das ideologias humanas?

Vale a pena ressaltar o fato de que havia naquele tempo entre homens e mulheres, uma enorme desigualdade de significado e importância. Naquela época, os homens em hipótese alguma conversavam com mulheres em público, ainda que fossem suas esposas. Ora, por favor, pare e pense, se entre um judeu e um samaritano existiam preconceitos profundos, e se homens não conversam publicamente com mulheres, imagine o rebuliço que foi um homem, judeu e Rabi conversar com uma mulher samaritana e de vida duvidosa?

Por mais absurdo que possa parecer, um verdadeiro judeu era capaz de preferir a morte a tomar água da mão de uma samaritana, sobretudo pecadora. Convém ainda ressaltar, que a mulher samaritana não era desprezada apenas pelos judeus, mas também pelo seu próprio povo. Isto porque sua vida era um emaranhado de adultérios e divórcios. Na sociedade de então, isso fazia dela uma pessoa rejeitada e proscrita, com um status social igual ao de uma prostituta comum.

O encontro de Jesus com esta mulher é capaz de nos mostrar o quão maravilhoso é o amor de Deus, que mesmo diante das nossas imperfeições, nos envolve possibilitando-nos assim o desfrutar de uma nova vida. Jesus foi suficientemente forte para romper paradigmas, estereótipos, idéias pré-concebidas , proporcionando a aquela mulher samaritana a construção de uma nova e linda história.

Soli Deo Gloria,

Renato Vargens / http://renatovargens.blogspot.com/2010/01/quando-deus-quebra-paradigmas.html

 

Citação

Vigiai – Notícias: Pr. Renato Vargens: Quando Deus quebra paradigmas.